PORTADA

NOTICIAS  

A GUARDA

TUI

O ROSAL

OIA

TOMIÑO

BAIXO MIÑO

LOCAL

OUTRAS NOVAS

DEPORTE

AXENDA

NECROLÓXICAS

ENTREVISTAS

COMUNICADOS

PORTUGAL

HEMEROTECA

PÁXINAS

 REPORTAXES

CONCELLO DA GUARDA

RÚAS DA GUARDA

VARIA

FOTOSAYER

FOTOS LECTORES

PATRIMONIO arquivo e documentación

XENTES de Ribadavila

Calendario

ENLACES

 
 
 

 

galiciasuroeste                                                                       PORTUGAL

Sábado, 26 de maio de 2018 

O municipio portugués de Vila Nova de Cerveira acolle a exposición sobre o concurso de ideas para construción dunha ponte peonil no río Miño

A exposición da Deputación de Pontevedra que da a coñecer os 24 proxectos presentados ao Concurso internacional de ideas para a construción dunha ponte peonil que unirá o Parque do Castelinho e o Espazo Fortaleza chegou hoxe a Câmara Municipal de Vila Nova de Cerveira. Esta mostra itinerante, froito do enorme interese espertado entre o público polo proxecto, visitará a continuación sé do Colexio de Enxeñeiros de Camiños, Canais e Portos de Galicia, en Coruña, e no Colexio Oficial de Arquitectos de Galicia, en Vigo.

A biblioteca municipal de Vila Nova de Cerveira é o espazo elixido para acoller a exposición, que estará aberta ao público até o vindeiro 8 de xuño. O horario de visita é de luns a sábados, das 9:30 ás 13 horas e das 14:00 ás 18 horas, os luns só en horario de tarde e os sábados só no de mañá.

O deputado de Cooperación Transfronteiriza, Uxío Benítez vén de destacar a relevancia técnica das propostas que participaron no concurso así como a diversidade de países e enclaves dende os que chegaron, motivos que impulsaron a posta en marcha desta exposición. Tras a resolución do Concuso de internacional de ideas, agora ábrese unha segunda fase do proxecto, de maior complexidade, e na que as tres propostas finalistas, ‘Raia’, de Álvaro Siza e Jorge Amorim Nunes da Silva; ‘Caminho do rio’ de Javier Zubia e Paula Teles, e ‘Una línea sobre el Miño’ das sociedades Burgos & Garrido e Bernabeu Ingenieros; participan nun negociado coa Deputación de Pontevedra que se espera que se resolva á altura do verán.

O concurso internacional de ideas está incluído dentro do proxecto europeo de cooperación transfronteiriza Visit Rio Minho, cofinanciado polo Interreg, que ten por obxectivo a posta en valor dos recursos endóxenos do río Miño.  A fin última da construción da ponte é a de “crear un parque transfronteirizo” e “un espazo urbano único de xestión común entre os dous concellos”, segundo explicou o deputado.

A creación da nova ponte internacional enmárcase dentro da acción ‘Cualificación e promoción do parque transfronteirizo Castelinho-Fortaleza’, do proxecto VISIT RIO MINHO, promovido conxuntamente pola Deputación de Pontevedra, a CIM Alto Minho, a Fundación CEER, o Centro Tecnolóxico do Mar, a Universidade de Vigo e os municipios do norte de Portugal. VISIT RIO MINHO está cofinanciado ao 75 % por fondos FEDER da UE a través da convocatoria INTERREG V-A POCTEP 2014-2020 e ten por obxectivo a cualificación e valorización ambiental dos recursos endóxenos do territorio do Miño e a súa promoción como destino ecoturístico.

 

Venres, 25 de maio de 2018 

Projetos para construção da ponte pedonal e ciclável Cerveira-Tomiño expostos na Biblioteca Municipal

Esta sexta-feira, chega a Vila Nova De Cerveira a exposição que dá a conhecer os 24 trabalhos apresentados ao Concurso Internacional de Ideias para a construção da futura travessia pedonal e ciclável sobre o rio Minho, fazendo a ligação entre os concelhos de Vila Nova de Cerveira e de Tomiño. De carácter itinerante, a mostra vai estar patente até 8 de junho no Auditório da Biblioteca Municipal.

Pelo impacto transfronteiriço do projeto, a exposição tem despertado um enorme interesse entre o público, que tem a possibilidade de contemplar todas as propostas apresentadas, e entre as quais se destacam os três projetos finalistas: ‘Raia’, de Álvaro Siza e Jorge Amorim Nunes da Silva; ‘Caminho do Rio,’ de Javier Zubia e Paula Teles; e ‘Una línea sobre el Miño’, das sociedades Burgos & Garrido e Bernabeu Ingenieros.

O Concurso Internacional de Ideias contou com um elevado nível e diversidade de países participantes, tendo esta exposição o objetivo de informar as populações dos dois concelhos envolvidos sobre as opções que estiveram em cima da mesa e sobre a decisão tomada pelo Júri Internacional. Para contextualizar o ponto de situação, está a decorrer a segunda fase do concurso que consiste na negociação de um procedimento para a contratação de um projeto base que se estima que possa estar resolvido durante o verão, de forma a que o projeto final seja conhecido no final do ano.

A construção da nova ponte pedonal e ciclável sobre o rio Minho integra o projeto VISIT RIO MINHO, promovido conjuntamente pela Deputación de Pontevedra, a CIM Alto Minho, a Fundación CEER, o Centro Tecnológico do Mar, a Universidade de Vigo e os municípios do Norte de Portugal. VISIT RIO MINHO é cofinanciado ao 75 % por fundos FEDER da UE através da convocatória INTERREG V-A POCTEP 2014-2020 e tem por objetivo a qualificação e valorização ambiental dos recursos endógenos do território do Minho e a sua promoção como destino ecoturístico.

Depois de ter sido inaugurada na Deputación de Pontevedra e de ter passado pelo Concelho de Tomiño, a exposição vai estar em Vila Nova de Cerveira durante as próximas duas semanas, tendo já sido solicitada por algumas instituições como por exemplo o Colexio de Enxeñeiros de Camiños de Galicia.

 

Xoves, 24 de maio de 2018 

Epidemia Urbana’ chega a Vila Nova de Cerveira

A Associação do Porto de Paralisia Cerebral (APPC) apresenta, esta sexta-feira, 25 de maio, no Cineteatro de Cerveira, a peça de teatro 'Epidemia Urbana' apresentada pela ''Era uma Vez...teatro'', Companhia de Teatro desta associação. De entrada gratuita, o espetáculo homenageia o Mestre José Rodrigues.

‘Epidemia Urbana’ é uma peça de teatro construída a partir de excertos da obra “Ensaio sobre a Cegueira”, de José Saramago, tendo também como “fonte” de inspiração as obras e percurso artístico do escultor José Rodrigues, recorrendo, inclusive, a algumas peças escultóricas do Mestre. O espetáculo aborda a busca pela “felicidade máxima” numa sociedade onde o “Ter” é mais importante do que o “Ser”. Será, assegura a Companhia, “um espetáculo visceral”.

De sublinhar que o conteúdo e mensagem desta peça de teatro é importante para Vila Nova de Cerveira, concelho ao qual o Mestre José Rodrigues esteve intimamente ligado por ter sido um dos fundadores da reconhecida Bienal Internacional de Artes e deixar um valioso legado artístico que sempre honrou a ‘Vila das Artes’.

Com entrada gratuita, a apresentação desta peça de teatro decorre no Cineteatro de Cerveira, esta sexta-feira, 25 de maio, às 21h30.

A organização é da Associação do Porto de Paralisia Cerebral (APPC), tendo como parceiros a Fundação Bienal de Arte de Cerveira, a Câmara Municipal e a Associação Cultural Convento de S. Payo.

 

Mércores, 23 de maio de 2018 

Forte e Estação Arqueológica de Lovelhe próximo da classificação como Sítio de Interesse Público

Foi publicado em Diário da República, o Projeto de Decisão que ditará a tão pretendida classificação como Sítio de Interesse Público (SIP) do Forte e Estação Arqueológica de Lovelhe, no concelho de Vila Nova de Cerveira. Processo administrativo, que foi encetado em 1977, encontra-se em consulta pública até 18 de junho. Autarquia destaca importância deste desfecho para a proteção, conservação e valorização futura daquele conjunto.

À semelhança do Fortim da Atalaia – classificado como Imóvel de Interesse Público (IIP) em 2017, após 38 anos -, também o procedimento administrativo de classificação do Forte e Estação Arqueológica de Lovelhe já se arrasta há quatro décadas, mas tudo indica que ficará brevemente resolvido. A Direção-Geral do Património Cultural formalizou, em Diário de República, o projeto de decisão que sustenta o processo de classificação.

Segundo o dossier de fundamentação, o Forte e a Estação Arqueológica de Lovelhe “testemunham uma memória, identidade cultural cujo significado se contextualiza no âmbito nacional e não só. De fato, no mesmo local em termos de ocupação do território estão presentes elementos construídos de diferentes cronologias que per si têm valor excecional no contexto histórico-social, arqueológico, arquitetónico, técnico-científico, bem como em termos paisagísticos, paisagem humanizada”. É ainda assegurado o seguinte: “Estamos assim perante valores culturais que importam proteger, conservar e salvaguardar dado a sua singularidade e autenticidade no âmbito do património cultural português e ibérico”.

O presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Cerveira realça mais uma excelente notícia em prol da preservação e valorização do património cultural do concelho, e que pode viabilizar a criação do Núcleo Museológico de Lovelhe, a recuperação do Forte de Lovelhe e o aprofundamento da exploração das valências da Quinta do Forte de Lovelhe. Para Fernando Nogueira, o objetivo é tornar o Forte de Lovelhe um espaço visitável e acessível à comunidade cerveirense e turistas, porque “não há no Norte Peninsular uma estação arqueológica tão rica como o Forte de Lovelhe”.

O Forte de Lovelhe e a Estação Arqueológica de Lovelhe localizam-se no lugar da Breia, na União de Freguesias de Vila Nova de Cerveira e Lovelhe. É formado por um amplo conjunto patrimonial que inclui a Fortaleza, mas também um vasto conjunto de ruínas arqueológicas que têm vindo a ser intervencionadas desde a década de 80 pelo Prof. Doutor Carlos A. Brochado de Almeida, dando a conhecer vários vestígios provenientes das seguintes ocupações – forte setecentista – igreja medieval – villa romana – habitat da idade do ferro.

A publicação em Diário da República do Projeto de Decisão está assinada pela Diretora-Geral do Património Cultural, Paula Araújo da Silva, estando em consulta pública até 18 de junho. Pode ser consultado através da Direção Geral do Património Cultural: DGPC (Património/Pesquisa de Património Imóvel/ Classificação de Bens Imóveis e Fixação de ZAP/Consultas Públicas/Ano em Curso).

Link para mais informações sobre o processo: http://www.patrimoniocultural.gov.pt/pt/patrimonio/patrimonio-imovel/classificacao-de-bens-imoveis-e-fixacao-de-zep/consultas-publicas/ano-em-curso/

 

Bienal de Cerveira procura intervenções artísticas

A Fundação Bienal de Arte de Cerveira lança o desafio a artistas nacionais e estrangeiros para o envio de propostas de intervenção no âmbito do programa complementar da XX Bienal Internacional de Arte de Cerveira, que decorre de 10 de agosto a 23 de setembro.

O Concurso de Intervenções Artísticas 2018 decorre até 22 de junho e tem como objetivo a promoção das artes e da cultura contemporânea. Procuram-se projetos inovadores e transversais a todas as áreas artísticas (artes visuais, artes performativas e audiovisual, nomeadamente teatro, dança, música, circo, grafiti, performance, pintura, escultura, instalação, vídeo, fotografia, entre outros), para integrar a programação complementar da bienal de arte mais antiga do país e da Península Ibérica.

“Com este concurso pretende-se promover o intercâmbio artístico através de linguagens interdisciplinares, num ambiente que se pretende multicultural”, explica Cabral Pinto, coordenador artístico do evento.

De recordar que a Bienal Internacional de Arte de Cerveira assinala os seus 40 anos sob o tema “Artes Plásticas Tradicionais e Artes Digitais – O Discurso da (Des)ordem” e homenageia um dos máximos expoentes do surrealismo português, o mestre Cruzeiro Seixas.

Normas do Concurso  (PT | ES | EN)

Formulário de Inscrição (PT | ES | EN)

 

VALENÇA

Visita Noturna Pelas Memórias da Fronteira de Valença

Conhece as estórias das trapicheiras e contrabandistas? As memórias do café, dos caramelos, o que é uma mandrana, uma apalpadeira, a ponte, as noites no rio? Valença convida a descobrir numa Visita Noturna pelas Memórias da Fronteira.

Sexta-feira, 25 de maio, Valença revive as estórias e memórias que mais a marcaram, no último século, com ponto de partida a Rotunda da Trapicheira, às 21h30.

Vozes dos Protagonistas

Um percurso noturno carregado de memórias e estórias onde os verdadeiros protagonistas serão as personagens vivas desses tempos. Venha ouvir as estórias das trapicheiras e raianas (sobretudo senhoras que transportavam os produtos), dos contrabandistas, dos presos, dos guardas fiscais e carabineiros, em voz própria, por quem fez a sua vida, durante décadas, na fronteira Valença Tui.

Viagem no Tempo

Esta é uma oportunidade para avivar muitas estórias do Contrabando e Trapiche de Valença. O Contrabando e o Trapiche foram atividades de sobrevivência dos homens e mulheres de Valença, proporcionados pela condição de fronteira. Durante séculos foram a grande fonte de sobrevivência de muitas famílias valencianas ficando para sempre na memória coletiva desta comunidade.

Estórias Únicas

As atividades de contrabando e trapiche em Valença tem particularidades únicas que esta visita guiada vai dar a conhecer. As mil estórias das “apalpadeiras”, a singularidade dos trajes das trapicheiras e raianas, a arte de “enganar” as autoridades, os produtos do trapiche e contrabando e o linguajar das trapicheiras.

Locais de Memórias

O percurso vai-se desenvolver desde a Rotunda da Trapicheira, Fortaleza de Valença, antiga Alfândega portuguesa de Valença, ponte internacional metálica, antiga Aduana espanhola de Tui, Casa da Revistadeira de Valença e avenida de Espanha. A iniciativa é do CLDS Valença 3G.

 

Martes, 22 de maio de 2018

Redes Locais de Intervenção Social do distrito reúnem-se em Cerveira para jornadas de reflexão

O Cineteatro de Cerveira acolhe, no próximo dia 29 de maio, um encontro dedicado às perspetivas sociais e de debate sobre a Intervenção Social em Rede de todos os concelhos do Alto Minho. Com carácter técnico e social, a organização das II Jornadas da Rede Local de Intervenção Social (RLIS) é da responsabilidade de todos os coordenadores das RLIS do distrito, e dinamizada pela Santa Casa da Misericórdia de Vila Nova de Cerveira, com apoio do Município cerveirense.

A sessão de abertura oficial conta com a presença do Presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Cerveira, Fernando Nogueira, da Diretora do Centro Distrital da Segurança Social de Viana do Castelo, Dr.ª Cristina Oliveira, do Provedor da Santa Casa da Misericórdia de Vila Nova de Cerveira, Rui Cruz, e do Psicólogo e Coordenador da Rede Local de Intervenção Social (RLIS) de Vila Nova de Cerveira, Dr. Sérgio Parente.

Durante o período da manhã, do programa constam duas sessões de trabalho com temáticas distintas, mas complementares. Desde logo os presentes vão proceder a uma “Abordagem Geral ao Trabalho de Campo das RLIS do Distrito de Viana do Castelo”, representada pelas coordenadoras das RLIS de Viana do Castelo, de Caminha e de Ponte de Lima, sob moderação da Vereadora da autarquia cerveirense, Aurora Viães. Seguidamente, o debate vai centrar-se nas “Respostas Sociais de Alojamento e de Emergência”, sendo este tema representado pelo Gabinete de Atendimento à Família (GAF), Assistentes Sociais e pela Associação Methamorphys, e cuja moderação será da competência do Presidente do Conselho Nacional da União das Misericórdias Portuguesas, Dr. Francisco Araújo.

Para a tarde está agendada uma Sessão Magna com dois temas: “Comunicação com o Doente com Perturbação Mental”, tendo como oradoras a Dr.ª Teresa Novo e Dr.ª Daniela Brandão (Médicas Psiquiatras da ULSAM) e “Organização dos Serviços de Saúde Mental – Importância das Respostas Sistémicas”, com a Dr.ª Lucinda Neves (Diretora do Departamento e Saúde Mental da ULSAM), a Enfermeira Catarina Vieira (Enf.ª Chefe do Serviço de Psiquiatria e Saúde Metal da ULSAM) e a Dr.ª Sofia Mendo (Psicóloga Clínica, do Serviço de Psicologia da ULSAM/Serviço de Saúde Pública da ULSAM). A moderação desta sessão é da responsabilidade do Dr. Delgado, Delegado Distrital de Saúde Pública de Viana do Castelo.

Os interessados deverão fazer a sua inscrição gratuita através dos seguintes contactos: correio eletrónico: rlisjornada2018@gmail.com / telefone: 251 294 500 / telemóvel: 962216631 ou presencialmente no espaço RLIS de Vila Nova de Cerveira, localizado na Praça do Município, nº 2, por detrás do edifício da Câmara Municipal.

 

Sábado, 19 de maio de 2018

Museus com entradas gratuitas este fim-de-semana

Vila Nova de Cerveira associa-se, uma vez mais, à comemoração do Dia Internacional dos Museus (18 de maio), com visitas gratuitas ao Aquamuseu do Rio Minho, Museu da Bienal de Cerveira e Convento de San Payo. Entre esta sexta-feira e domingo, estes três museus convidam o público a conhecer o espaço e respetivo acervo.

Com o objetivo de aprofundar a ligação com os visitantes e envolver novos públicos em torno do conhecimento e da salvaguarda e valorização do património cultural de Vila Nova de Cerveira, os três museus vão estar de portas abertas este fim-de-semana, com entradas gratuitas.

O Aquamuseu do rio Minho convida as famílias a ‘viajar’ dentro de quatro paredes por toda a riqueza daquele curso de água internacional. Este equipamento de interesse supramunicipal tem aquários com espécies do Rio Minho, Lontrário, Museu das Pescas e Loja do Rio, para além de exposições temáticas sobre o tritão-palmado, o sável ou as espécies invasoras (Horário de funcionamento, de terça-feira a domingo 10h00-12h30 e 14h00-18h00).

E porque nos encontramos na ‘Vila das Artes’, torna-se incontornável desfrutar daquele que é o primeiro palco das artes do concelho. O Museu Bienal de Cerveira, localizado no Fórum Cultural, é um repositório da arte contemporânea nacional e internacional das últimas quatro décadas, reunido num espólio com mais de 600 obras, avaliado em mais de um milhão de euros. (Horário de funcionamento deste fim-de-semana 10h00 - 13h00 e 15h00 - 19h00).

Conjugando arte e natureza, o Convento de San Payo também abre as suas portas de forma gratuita. Pelo cuidadoso restauro de que foi objeto, o Convento constitui um museu em si, por conservar e patentear um espécimen raro de arquitetura conventual e de franciscanismo observante. Habitado por uma das mais notáveis referências da arte portuguesa contemporânea – o Mestre José Rodrigues -, tornou-se uma espécie de museu - atelier. A coleção de esculturas, desenhos e pinturas, num acervo de algumas centenas de peças, permite ao visitante conhecer melhor a obra de José Rodrigues (Visitas gratuitas este fim-de-semana entre as 14h00 e as 18h00).

 

Mais de 300 atletas participam na 13ª Regata Internacional Ponte da Amizade

Este domingo, uma grande moldura humana vai enriquecer a beleza do rio Minho. A 13ª Regata Internacional Ponte da Amizade conta com a participação de mais de 300 atletas, de 18 clubes (7 portugueses e 11 espanhóis), e inúmeros apoiantes nas margens. Competição decorre entre as 10h00 e as 15h00.

Integrada no Calendário Nacional da Federação Portuguesa de Remo, este evento desportivo é já uma referência nacional para o remo jovem, que inclui no seu programa 19 provas dos escalões benjamins, infantis, iniciados e juvenis.

A competição encerra com a disputa das provas rainha do 4x Juvenil Feminino e do 8+ Juvenil Masculino, durante as quais estão em jogo dois troféus da autoria de um dos expoentes máximos da arte em Portugal – Mestre José Rodrigues -, cuja atribuição só se verifica caso o mesmo clube vença estas provas três anos consecutivos ou cinco interpolados.

A Regata Internacional Ponte da Amizade promove o convívio e bem-estar dos jovens desportistas, através de uma competição salutar, de forma a divulgar a modalidade do remo e a valorizar o vasto património natural que abraça Vila Nova de Cerveira.

Findo o programa de regatas tem lugar a cerimónia de entrega de prémios, com medalhas aos três primeiros classificados de cada prova, troféus para as provas do 4x Juvenil Feminino e 8+ Juvenil Masculino, bem como lembranças para todos os clubes e entidades representadas.

As eliminatórias decorrem a partir das 10h00, estando agendado para as 15h00 o início das finais. A organização da Regata Internacional da Ponte da Amizade é da Associação Desportiva e Cultural da Juventude de Cerveira, com o apoio da Câmara de Vila Nova de Cerveira.

 

Martes, 15 de maio de 2018

Cerveira recebe fase intermunicipal do Concurso Nacional de Leitura

            Está agendada para esta quinta-feira, 17 de maio, a fase intermunicipal da 12ª edição do Concurso Nacional de Leitura (CNL) destinada aos alunos do 1º, 2º e 3º Ciclos do Ensino Básico e do Ensino Secundário dos 10 concelhos do Alto Minho. Vila Nova de Cerveira é o município anfitrião da prova que seleciona dois alunos por cada nível de ensino para representar o distrito na fase final do concurso, agendada para 10 de junho.

No total são 38 os alunos que, após terem passado a fase municipal, vão colocar à prova os seus conhecimentos junto de colegas de outras escolas do distrito, numa iniciativa que visa alcançar resultados específicos de promoção da leitura e da escrita junto da população escolar, para além do intercâmbio lúdico-pedagógico subjacente.

A jornada tem início às 10h30, na Biblioteca Municipal de Vila Nova de Cerveira com a realização de uma prova escrita, com caráter eliminatório, ficando apurados cinco alunos por cada nível de ensino. Concluída esta etapa, o Município de Vila Nova de Cerveira proporciona aos participantes uma visita guiada à VIII EDUCARTE – Mostra de Arte Infantojuvenil e ao centro histórico.

O período da tarde está reservado para a prova oral testando o conhecimento, a leitura e a argumentação dos alunos apurados, mediante as obras selecionada para cada nível de ensino: “Um Fidalgo de Pernas Curtas”, de Ilse Losa (1º ciclo); “O Caderno do Avô Heinrich”, de Dinis Tomé (2º ciclo); “O Velho e o Mar”, de Ernest Hemingway (3º ciclo); e “O Perfume: História de Um Assassino”, de Patrick Süskind (Secundário). Esta etapa decorre no Cineteatro de Cerveira, aguardando-se cerca de 150 alunos que na plateia, vão apoiar os concorrentes, para além de aplaudirem um momento musical protagonizado pela Academia de Música Fernandes Fão.

Inserida no Plano Nacional de Leitura Ler +, esta iniciativa é promovida pela Direcção-Geral do Livro, dos Arquivos e das Bibliotecas (DGLAB), contando com o apoio da Rede das Bibliotecas Escolares (RBE) e tendo como media partner a RTP.

 

Valença Recebe Dia das Letras Galegas

Concerto de Andrea Pousa, gastronomia raiana, artesanato, feira do livro e animação de rua são os ingredientes de Valença no Dia das Letras Galegas, 17 de Maio, feriado da Galiza.

Concerto de Andrea Pousa

Andrea Pousa, a voz da Galiza que triunfa por esse mundo fora dará um concerto, no Jardim das Amoreiras, na Fortaleza às 17h30. Canções do disco Respirar e a interpretação do Hino Galego marcarão este espetáculo que será acompanhado com a leitura de poesia galaico-minhota a cargo do Bruxo Queimán

Sabores da Raia

O Caldo Verde, as pataniscas de bacalhau, a lampreia fumada recheada, os callos, as madalenas serão alguns dos sabores que Valença vai apresentar na próxima quinta-feira, na iniciativa Valença à Mesa. Entre as 15h e as 17h, a Praça da República, na Fortaleza, será o palco para um workshop de cozinha raiana a cargo de João Guterres.

A gastronomia tradicional valenciana é marcada profundamente pelas suas relações transfronteiriças com a Galiza.

Cultura Raiana

Os sons das gaitas de foles da Galiza, stands com literatura em galego e uma mostra de artesanato raiano completam a programação deste dia.

Dia das Letras Galegas

Este ano a Galiza homenageiaa, no Dia das Letras Galegas a figura da escritora e professora María Victoria Moreno Márquez. Feriado da Galiza que todos os anos evoca uma personalidade que se tenha destacado pela sua criação literária em língua galega ou pela defesa da língua.

A iniciativa é da Eurocidade e enquadra-se na partilha de culturas e no estreitamente de laços entre Valença e Tui. No 10 de junho programa-se a celebração do Dia de Portugal na cidade de Tui.

 

Sábado, 12 de maio de 2018

Fins-de-semana de maio à mesa com sabores do rio

A gastronomia de Vila Nova de Cerveira é reveladora dos usos e costumes, e da forte relação que a população tinha, e ainda tem, com o rio Minho. Desta forma, os fins-de-semana de maio sugerem o afamado Debulho de Sável do rio Minho à mesa de 15 restaurantes aderentes.

O sável assume-se como o peixe que simboliza o rio Minho, não só pelo seu aspeto, mas pelo fator económico que representava para a população. A criatividade familiar apurou o paladar. Foi a mulher do pescador que, com arte e engenho, criou o debulho de sável, como forma de aproveitar as partes menos nobres do peixe para confecionar um divinal arroz de sável, aromatizado com uma mescla de especiarias e ervas aromáticas, que lhe conferem o estatuto de genuíno e inconfundível

 

Cerveira e Valença criam Centro Intermunicipal de Proteção Civil no Cerval

            Os municípios vizinhos de Vila Nova de Cerveira e de Valença vão avançar com a implementação de um instrumento de cooperação intermunicipal no âmbito da Proteção Civil e Defesa da Floresta contra Incêndios. Protocolo de colaboração foi formalizado, esta quarta-feira, com o principal objetivo da partilha de meios e recursos operacionais em prol da preservação e prevenção florestal, consubstanciada na segurança das populações.

É mais um capítulo, com caráter pioneiro, na conjugação de esforços a nível intermunicipal entre as autarquias de Vila Nova de Cerveira e Valença. Depois da anunciada elaboração do primeiro plano de pormenor supramunicipal em solo industrial para criar uma nova área empresarial conjunta de 140 hectares, os dois executivos municipais identificaram mais uma área de trabalho comum.

A constituição do Centro Intermunicipal de Proteção Civil no Cerval que resulta da formalização de um protocolo de colaboração celebrado, esta quarta-feira, em Valença, visa a partilha de meios e recursos afetos aos dois municípios em matéria de Proteção Civil e Defesa da Floresta Contra Incêndios. Privilegiando a centralidade estratégica, este acordo aponta ainda a promoção da melhoria e capacitação das infraestruturas do aeródromo de Cerval na área de influência dos meios aéreos e terrestres no âmbito operacional de Proteção Civil.

Para o edil cerveirense, “o desenvolvimento sustentável dos territórios tem de ser trabalhado pela concertação entre os municípios. Por isso, as boas relações institucionais e as sinergias supramunicipais já encetadas entre as duas Câmaras Municipais justificam esta aposta numa área de capital importância, como é a Proteção Civil e Defesa da Floresta Contra Incêndios”. Fernando Nogueira assegura que “este é apenas um primeiro passo com o propósito de se formalizar o modelo numa Associação Intermunicipal de Proteção Civil, através da qual os municípios possam apresentar uma candidatura conjunta a fundos comunitários para obter apoios para desenvolver este projeto”.

Jorge Mendes, presidente da Câmara Municipal de Valença, acredita que hoje a cooperação é a chave para o progresso e o desenvolvimento sustentado dos territórios. Acrescentou ainda que Valença vai continuar disponível para cooperar com todos aqueles que possam trazer desenvolvimento sustentável, segurança e qualidade de vida aos seus cidadãos. “Valença e Vila Nova de Cerveira tem muito a ganhar com esta cooperação, espero que no futuro possamos continuar a encontrar soluções comuns para melhorar a vida dos nossos munícipes.”

Enquanto instrumento de cooperação, o Centro Intermunicipal de Proteção Civil no Cerval pode ainda estabelecer parcerias de colaboração com outros agentes de Proteção Civil no âmbito do Dispositivo de Combate a Incêndios Florestais e demais matérias da competência da Proteção Civil.

 

Venres, 11 de maio de 2018

Continua o esforço do Município na garantia do abastecimento de água de qualidade

Está dado mais um passo positivo no processo de consolidação e modernização de abastecimento público de água em baixa na freguesia de Covas. Após os trabalhos de adução, a Câmara Municipal de Vila Nova de Cerveira ativou os dois reservatórios construídos de raiz para, durante este mês de maio, se iniciar o processo de instalação nas habitações dos cerca de 600 contadores adquiridos.

No âmbito da profunda remodelação da rede de abastecimento de água na freguesia de Covas, encetada em 2015, a Câmara Municipal de Vila Nova de Cerveira prossegue com os investimentos necessários ao pleno funcionamento daquele sistema em prol de um serviço de qualidade, moderno e economicamente mais sustentável.

Os dois reservatórios construídos de raiz, na vertente Norte (com a capacidade de 200 m3) e na vertente Sul (com capacidade de 150 m3), já estão a ser abastecidos de água após concluída a empreitada de adução suportada pelo orçamento municipal. Esta fase já permite testar os instrumentos de controlo e medição dos vários parâmetros exigidos pela legislação nacional e comunitária. O próximo passo é a instalação, a partir deste mês de maio, de cerca de 600 contadores já adquiridos pela autarquia, nas várias habitações da freguesia.

De sublinhar que esta obra se enquadra na obrigatoriedade de o Município cumprir as diretivas do ERSAR relativamente à gestão da rede de abastecimento de água na totalidade do território e também na freguesia de Covas, permitindo o aumento da capacidade de armazenagem, a diminuição significativa das perdas de água, e a redução do número de captações, que na situação atual é excessivo (cerca de 30 pontos de captação).

 

Xoves, 10 de maio de 2018

Águas bravas do rio Coura propícias para mais um Campeonato Nacional de Slalom

Pelo terceiro ano consecutivo, a freguesia de Covas, em Vila Nova de Cerveira, volta a acolher o Campeonato Nacional de Slalom. Este fim-de-semana, 12 e 13 de maio, cerca de 250 atletas vão desafiar as águas correntes fortes do rio Coura à procura de obter a melhor classificação na edição 2018 da prova.

Da competição de montanha para a náutica, as condições naturais de Vila Nova de Cerveira, conjugadas com a abertura e a aposta da Câmara Municipal na vertente desportiva, tem atraído a realização de mais eventos de referência nacional.

Depois do sucesso do Ultra Trail de Cerveira 2018 que trouxe, no passado sábado, mais de 1.100 atletas oriundos de todo o país e outro milhar para assistir, no próximo fim-de-semana, as atenções centram-se nas potencialidades desportivas e turísticas do rio Coura.

Ao longo de um percurso de apenas 300 metros, cerca de 250 atletas de várias categorias – cadetes, juniores, e veteranos C1, K2 e C2 masculino e feminino -, vão desafiar um plano de água corrente forte, com obstáculos naturais e portas (grau II e III), já reconhecido pelas condições excelentes para a prática da modalidade. Pelas margens, e à semelhança dos anos anteriores, aguardam-se centenas de pessoas que aliam o apoio aos atletas ao desfrute de um ambiente natural e tranquilo.

“Em Vila Nova de Cerveira, o desporto e o turismo estão cada vez mais interligados, tendo como denominador comum a usufruição das mais diversas e belas paisagens naturais que temos para oferecer. Temos eventos que são um sucesso logo na primeira edição, confirmado pelo crescimento constante de participantes, ano após ano. Seja numa vertente competitiva, seja apenas por lazer e bem-estar, é cada vez mais frequente ver jovens e menos jovens a colocar a atividade física na rotina do seu dia-a-dia”, afirma o edil cerveirense, Fernando Nogueira.

A prova do Campeonato Nacional de Slalom agendada para Covas vai ser disputada em três mangas, uma eliminatória no sábado a partir das 10h00, seguida das semifinais agendada para as 15h00 para, no domingo, no período da manhã, se disputarem as finais individuais e respetiva entrega de prémios.

A organização é da Federação Portuguesa de Canoagem, do Cube Desportivo Minho – Teixugos e do Conselho de Arbitragem, com apoio da Câmara Municipal de Vila Nova de Cerveira e da Junta de Freguesia de Covas.

 

Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto promove residência artística na Fundação Bienal de Arte de Cerveira

            A Casa do Artista Jaime Isidoro vai acolher, de 14 a 31 de maio, uma residência artística de 18 alunos do Mestrado em Artes Plásticas da Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto (FBAUP).

            Cumprindo com o desígnio da criação da Casa do Artista Jaime Isidoro “esta residência contribui para a aproximação dos conceitos científicos da prática artística e para a promoção da reflexão entre alunos, professores e artistas”, refere o coordenador artístico da Fundação Bienal de Arte de Cerveira, Cabral Pinto.

            Segundo a Professora Auxiliar Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto e coordenadora do projeto, Rute Rosas, a iniciativa apresenta-se como “um incentivo e oportunidade para os estudantes no desenvolvimento das suas pesquisas, em ambiente coletivo, com enquadramento e contextualização cultural, sociológica e espácio temporal, motivadora de experiências de troca e partilha com Vila Nova de Cerveira e a Bienal Internacional de Arte que este ano comemora 40 anos de vida e a sua 20.ª edição”.

            O Mestrado em Artes Plásticas (MAP) da Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto centraliza a sua ação na coordenação, orientação e apoio ao desenvolvimento e consolidação do projeto/ plano individual dos estudantes, assente numa dinâmica e diversidade de tipologia de aulas e experiências que contribuam para o processo de ensino e aprendizagem.

            De recordar que a Fundação Bienal de Arte de Cerveira, no âmbito da XX Bienal Internacional de Arte de Cerveira (10 de agosto a 23 de setembro), tem aberto, até dia 15 de maio, o concurso de Residências Artísticas que decorrerão entre 20 de agosto a 14 de setembro de 2018.

Alunos participantes: Rava Midlej, Joana Bueno Lacerda Moura, Svenja Katherina Reinebeck, Maira Luizário Coelho, Adrian Conde Novoa, Carlos Eduardo Peixoto da Silva, Dino Luís dos Santos, Filipe Dinarte da Silva, Louise Elise Herbert, Maria Luzia Almeida Cunha Alegre Silva, Inês Lopes Silva, Maria Beatriz Couto Bizarro de Castro Dias, Joao Carlos Mesquita Pinto, Sara Martins Gonçalves, Bárbara Marques do Rosário, Bruno da Costa Magalhães Pedreira, Gil Sousa Pinho, Kauê Gindri da Silva

 

Mércores, 9 de maio de 2018

XX Bienal Internacional de Arte de Cerveira: programa de voluntariado aberto

                A Fundação Bienal de Arte de Cerveira está à procura de voluntários para a XX Bienal Internacional de Arte de Cerveira (10 de agosto a 23 de setembro) que desempenhem funções de acolhimento, informação e encaminhamento dos visitantes e apoio na organização das visitas guiadas. Os interessados deverão inscrever-se até 30 de junho de 2018.

                A Fundação Bienal de Arte de Cerveira compromete-se a assegurar a todos os voluntários formação, alojamento, alimentação, seguro e um certificado de participação. Os jovens farão um turno de cinco horas por dia, durante 15 dias, entre 10 de agosto e 23 de setembro de 2018.

Os participantes do programa de voluntariado terão, assim, a oportunidade de contactar com artistas de diferentes áreas e nacionalidades e viver uma experiência de aprendizagem e partilha únicas.

            “Este programa promove o espírito de solidariedade e de intercâmbio de conhecimento e são já muitos os exemplos de profissionais do setor que tiveram como primeira experiência o voluntariado na Bienal Internacional de Arte de Cerveira”, refere o coordenador artístico do certame, Cabral Pinto.

            Os voluntários terão, ainda, a oportunidade de frequentar uma ação formativa na área de serviço de atendimento e acolhimento ao visitante, estudos de públicos e introdução à Arte Contemporânea, que terá uma duração de 20 horas, sendo que decorrerão ainda outras sessões durante o evento.

Perfil dos candidatos:

– Idade entre os 18 e 30 anos;

– Motivação, espírito de iniciativa e responsabilidade para com o serviço;

– Disponibilidade e espírito de equipa;

– Preferencialmente, conhecimentos de línguas estrangeiras e habilitações académicas e/ou experiência profissional em áreas relacionadas com história de arte, expressão plástica, informática, relações públicas e relações internacionais.

Tarefas dos voluntários:

1) Apoio ao acolhimento:

– Acolhimento e encaminhamento dos visitantes para os diferentes espaços e serviços;

– Fornecimento de informações de caráter geral, funcionamento e programação de atividades;

– Apoio ao nível do acolhimento dos participantes nos programas educativos e ao nível logístico (preparação e reposição de materiais para oficinas) no Serviço Educativo;

– Apoio ao nível do acolhimento dos participantes em Cursos/Workshops/Conferências.

2) Informação e encaminhamento dos visitantes:

– Apoio na divulgação e informação das exposições e outras atividades associadas ao evento XX Bienal Internacional de Arte de Cerveira;

– Distribuição de suportes de comunicação e do plano de atividades diário aos visitantes que circulam nos diferentes locais de exposição;

– Apoio na dinamização das atividades e workshops.

\ Normas do Voluntariado

\ Formulário de Inscrição

 

Luns, 7 de maio de 2018  

Bombeiros Voluntários passam a ter Equipa de Intervenção Permanente

Dando cumprimento à Diretiva Operacional Nacional, que estabelece o Dispositivo Especial de Combate a Incêndios Rurais (DECIR) para 2018, a Câmara Municipal de Vila Nova de Cerveira aprovou, na última reunião de vereação, a criação de uma Equipa de Intervenção Permanente (EIP) afeta à Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Vila Nova de Cerveira. Protocolo com Ministério da Administração Interna foi formalizado na passada sexta-feira.

No início deste ano, evocando um "novo tempo para a proteção civil e a segurança", o Ministro da Administração Interna assumiu com os bombeiros portugueses, a criação, até 2020, de equipas de intervenção permanente em todos os concelhos do continente. Esta decisão resulta das conclusões do grupo de trabalho constituído pelo Ministro da Administração Interna, que conta com a presença da Associação Nacional dos Municípios Portugueses, da Liga dos Bombeiros Portugueses e da Autoridade Nacional da Proteção Civil.

Neste sentido, a Câmara Municipal de Vila Nova de Cerveira vai avançar com a criação da Equipa de intervenção Permanente na corporação de bombeiros voluntários, passando a existir cinco bombeiros em permanência no quartel para ocorrer a qualquer urgência e emergência registada no concelho.

Na passada sexta-feira, o presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Cerveira, Fernando Nogueira, e o presidente da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Vila Nova de Cerveira, Fernando Venade, marcaram presença, em Forno de Algodres, na cerimónia de assinatura dos protocolos para a constituição das 75 novas Equipas de Intervenção Permanente a nível nacional, que contou com a presença do Ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita.

Uma Equipa de Intervenção Permanente custa cerca de 70 mil euros anuais, sendo 35 mil pagos pela câmara municipal, valor ao qual acresce a manutenção das viaturas, e o restante é suportado pelo Orçamento do Estado. Durante a última reunião de câmara, o edil cerveirense, Fernando Nogueira, explicou que a criação da EIP obriga a autarquia a fazer um esforço financeiro acrescido que levará a um ajuste no Plano Plurianual de Investimento para 2018.